REPRESENTAÇÕES SOCIAIS SOBRE A COMIDA DA INFÂNCIA PARA IDOSOS: um olhar sobre o passado e o presente

Aline Liz Faria, Alexandra Magna Rodrigues, Marluce Auxiliadora Glaus Leão, Edna Maria Querido de Oliveira Chamon

Resumo


O objetivo deste estudo foi identificar as representações sociais de idosos sobre a comida da infância. Trata-se de uma pesquisa exploratória e de abordagem qualitativa. Utilizou-se no percurso metodológico, entrevistas narrativas de vida com um roteiro pré-estabelecido. Os dados foram tratados por meio da análise de conteúdo. Com a análise de dados, foi discutida a simbologia da comida e o conteúdo que está em torno dela, como hábitos, normas, valores e atitudes. Participaram desta pesquisa nove idosos entre 61 e 80 anos de idade, participantes de um projeto de extensão universitária na região do Vale do Paraíba Paulista/SP. Observou-se que as relações sociais, aumento do consumo e os eventos à mesa sofreram alterações entre o passado e o presente. Porém, as representações sociais sobre a comida da infância presentes na memória dos idosos estavam relacionadas à afetividade e a relações, festividades e lembranças a ela relacionada. Para estes idosos a afetividade se configura de várias formas, como o prazer da ingestão da comida, de receber alguém ou ser recebido com a comida ao redor, e o sentido de demonstrar o afeto nas relações sociais. Ao mesmo tempo em que os idosos constataram as modificações da sociedade no que diz respeito ao comer e demais conteúdos que o cercam, as representações sociais da comida da infância são permeadas de simbolismos e afetividade próprios desse objeto de estudo.


Palavras-chave


Representações Sociais, envelhecimento, comida de infância, narrativas de vida.

Texto completo:

PDF

Referências


AMON, D. Psicologia Social da Comida Petrópolis, Rio de Janeiro: Vozes, 2014.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa, Portugal: 70 ed. LDA, 2011.

BAUMAN, Z. Vida Líquida. Tradução: MEDEIROS, C. A., 2 ed Revisada. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2009.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Alimentos Regionais. 2 ed. Brasília/DF, 2015.

_______. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Guia Alimentar para a População Brasileira. 2 ed. Brasília/DF, 2014.

CAMPOS, C. J. G. Método de Análise do Conteúdo: ferramenta para a análise de dados qualitativos no campo da saúde. Revista Brasileira de Enfermagem. Brasília, v. 57, n. 5, p. 611-614, set./out., 2004.

CHIZZOTTI, A. Pesquisa em ciências humanas e sociais. São Paulo: Cortez, 2008.

DAMATTA, R. Sobre o simbolismo da comida no Brasil. O correio da Unesco. Rio de Janeiro: 1987, p. 22-23.

JOVCHELOVICH, S. Os contextos do saber: representações, comunidades e cultura.

Tradução: Pedrinho Guareschi. 2 ed. Petrópolis: Vozes, 2011.

LODY, R. Brasil bom de boca: temas da antropologia da alimentação. São Paulo: SENAC, 2008.

MINTZ, S. W. Comida e antropologia uma breve revisão. Revista Brasileira Ciências Sociais, v. 16, n. 47, outubro de 2001.

MOSCOVICI, S. A psicanálise, sua imagem e seu público. Petrópolis: Vozes, 2012

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE (OMS). Envelhecimento ativo: uma política de saúde. Brasília: Organização Pan-Americana da Saúde. 2005.

PAPALÉO NETTO, M. O Estudo da Velhice: Histórico, Definição do Campo e Termos Básicos In: FREITAS, E. V. et al. Tratado de Geriatria e Gerontologia. 3 ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2013.

SANTOS, C. R. A. Uma viagem por sabores mestiços. In: LODY, R. Brasil bom de boca Temas de antropologia social. São Paulo, SENAC, 2008.




DOI: http://dx.doi.org/10.32813/rchv11n22018artigo5

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Revista Ciências Humanas

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

Revista Ciências Humanas - eISSN: 2179-1120




Programa Anti-plágio utilizado:

CopySpider