A EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS: o caso da formação escolar em engenharia

Palavras-chave: Educação em Ciências. Formação Profissional. Engenharias.

Resumo

Este estudo sobre a educação em ciências na formação profissional busca compreender o paradoxo do engenheiro sem engenhosidade. O objetivo da pesquisa é analisar as possíveis contribuições da psicanálise no campo educacional, no sentido de entender as relações entre a educação em ciências e a formação do profissional em engenharia. O método utilizado tem como proposição investigativa o campo da teoria crítica para analisar e interpretar a área temática da educação em ciências. Os primeiros resultados deste estudo indicam que a formação profissional deveria ser interpretada para além do senso comum, não como algo corriqueiro, mas sim como uma formação substitutiva de que não se deseja saber sobre o próprio desejo e atuam numa posição de pseudoneutralidade perante o saber científico.

Biografia do Autor

Rogério Rodrigues, Universidade Federal de Itajubá - UNIFEI
Graduação em Educação Física; Mestre em Educação (UNICAMP); Doutor em Educação (UNICAMP). Pesquisador do programa de mestrado em Desenvolvimento, Tecnologia e Sociedade e docente da Universidade Federal de Itajubá (UNIFEI).

Referências

ADORNO, Theodor W. Educação e Emancipação. Trad. Wolfgang Leo Maar. Rio de Janeiro: Paz e Terra. 1995.

ANTONIL, André João. Cultura e Opulência do Brasil: por suas drogas e minas. Brasilia: Senado Federal. 2011.

ARENDT, Hannah. Eichmann em Jerusalém: um relato sobre a banalidade do mal. Trad. José Rubens Siqueira. São Paulo: Companhia das Letras. 1999.

ARENDT, Hannah. Entre o passado e o futuro. Trad. Mauro W. Barbosa. São Paulo: Perpesctiva. 2011.

BRASIL. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP). Disponível em: <http://portal.inep.gov.br/>. Acesso em: 03 out. 2016.

CAPELAS, Bruno. Brasil chega a 168 milhões de smartphones em uso. O Estado de S. Paulo, São Paulo, 14 de abr. 2016. Disponível em: <http://link.estadao.com.br/noticias/gadget,brasil-chega-a-168-milhoes-de-smartphones-em-uso,10000047873>. Acessado em: 10 de mar. 2017.

CHAUI, Marilena. A ideologia da competência. Belo Horizonte: Autêntica Editora. 2016.

DESCARTES, René. Tratado del hombre. Trad. Guillermo Quintás. Madrid, Editora Nacional. 1980.

FOUCAULT, Michel. Os anormais: curso no Collège de France (1974-1975). Trad. Eduardo Brandão. São Paulo: Martins Fontes. 2001.

FREUD, Sigmund. Algumas reflexões sobre a psicologia do escolar (1914). In: ________. Obras Completas. v. XIII. Trad. Jayme Salomão. Rio de Janeiro: Imago. 1990a.

FREUD, Sigmund. O Mal-Estar na Civilização (1930 [1929]). In: ________. Obras Completas. v. XXI. Trad. Jayme Salomão. Rio de Janeiro: Imago. 1990b.

FREUD, Sigmund. Prefácio a Juventude Desorientada de Aichhorn (1925). In: ________. Obras Completas. v. XIX. Trad. Jayme Salomão. Rio de Janeiro: Imago. 1990c.

GARZELLA, Fabiana Aurora Colombo. A disciplina de Cálculo I: análise das relações entre as práticas pedagógicas do profesor e seus impactos nos alunos. Campinas: Unicamp. (Tese de Doutorado). 2013.

GHIRALDELLI, Paulo. O que é pedagogia. 3. ed. rev. e atual. São Paulo: Ed. brasiliense. 1994.

GUATTARI, Félix. Micropolítica do fascismo. In: ________. In: Revolução Molecular: pulsações políticas do desejo. Trad. Suely Belinha Rolnik. São Paulo: Brasiliense. 1981.

GUATTARI, Félix. As três ecologias. Trad. Maria Cristina F. Bittencourt. Campinas: Papirus. 1990.

LACAN, Jacques. O seminário, livro 20: mais, ainda. Rio de Janeiro: Jorge Zahar. 1985.

LAJONQUIÈRE, Leandro de. De Piaget a Freud: a (psico)pedagogia entre o conhecimento e o saber. 3ª ed. Petrópolis, RJ: Vozes. 1992.

LAJONQUIÈRE, Leandro de. Dos "erros" e em especial daquele de renunciar à educação: Notas sobre psicanálise e educação. In: Estilos Clínica, vol.2, n.2, p.27-43. 1997.

LAJONQUIÈRE, Leandro de. Educação e Infanticídio. In: Educação em Revista, Belo Horizonte, v. 25, n. 01, p. 165-177, abr. 2009a.

LAJONQUIÈRE, Leandro de. Infância e Ilusão (Psico) Pedagógicas: escritos de psicanálise e educação. Petrópolis: Vozes. 2009b.

LAJONQUIERE, Leandro de. A Palavra e as Condições da Educação Escolar Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 38, n. 2, p. 455-469, abr./jun. 2013. Disponível em: <http://www.seer.ufrgs.br/index.php/educacaoerealidade/article/view/34257/25726>. Acesso em 10 out. 2016.

LAJONQUIÈRE, Leandro de. Sobre uma degradação geral da vida escolar. In: Educação Temática Digital, Campinas, v.10, n.2, p.157-168, jun. 2009c.

LARROSA, Jorge. Pedagogia Profana: danças, piruetas e mascaradas. Trad. Alfredo Veiga-Neto. Belo Horizonte: Autêntica. 2004.

LAUDARES, João Bosco & RIBEIRO, Shirlene. Trabalho e Formação do Engenheiro. Revista Brasileira de Estudo Pedagógico, Brasília, v. 81, n. 199, p. 491-500, set./dez. 2000.

RANCIÈRE, Jacques. O mestre ignorante: cinco lições sobre a emancipação intelectual. Trad. Lílian do Valle. Belo Horizonte: Autêntica. 2002.

Publicado
2018-12-18