DANÇA CIRCULAR E REPRESENTAÇÕES SOCIAIS: novos possíveis na universidade

Tatiana Trindade, Adriane Roso, Deisi Freitas, Anniara Lima

Resumo


A partir de uma prática interdisciplinar (Educação e Psicologia), este artigo apresenta os resultados de uma pesquisa qualitativa que objetivou conhecer as experiência da prática das danças circulares em uma disciplina de graduação. O corpus de análise foi composto por 23 diários de aula de acadêmicos de diferentes cursos de graduação (Pedagogia, Educação Especial e Terapia Ocupacional), e o diário de campo da pesquisadora complementou as análises. Contando com a perspectiva crítica da Psicologia Social e com constructos da Teoria das Representações Sociais, analisamos como esta experiência abre novos possíveis para os acadêmicos. Concluímos que as experiências da dança movimentam representações sociais e vice-versa, pois a dança sensibiliza o sujeito para a abertura à alteridade e ao mundo, afetando suas relações sociais. 


Palavras-chave


DANÇA CIRCULAR. EDUCAÇÃO. REPRESENTAÇÃO SOCIAL

Texto completo:

PDF

Referências


ANDRADA, P. C.; SOUZA, V. L. T. Corpo e docência: a dança circular como promotora do desenvolvimento da consciência. Revista Quadrimestral da Associação Brasileira de Psicologia Escolar e Educacional, São Paulo, v. 19, n 2, p. 359-368, 2015.

ARENDT, H. A Condição Humana. Rio de Janeiro: Ed. Forense Universitária, 2014.

ARENDT, H. Entre o Passado e o Futuro. São Paulo: Editora Perspectiva, 2013.

ARRUDA, A. Representações Sociais: dinâmicas e redes. In: SOUSA, C. P. S. et al (Org.). Angela Arruda e as Representações Sociais: estudos selecionados. Curitiba: Fundação Carlos Chagas, Champagnat Ed. PUCPR, 2014. p. 39-66.

BRASIL. LEI Nº. 4.119, de 27 de agosto de 1962. Dispõe sôbre os cursos de formação em psicologia e regulamenta a profissão de psicólogo. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 27 de agosto de 1962. Seção 1, p. 9253. Disponível em: Acesso em: 24 de setembro de 2017.

BRASIL. Portaria n 849, de 27 de março de 2017. Inclui a Arteterapia, Ayurveda, Biodança, Dança Circular, Meditação, Musicoterapia, Naturopatia, Osteopatia, Quiropraxia, Reflexoterapia, Reiki, Shantala, Terapia Comunitária Integrativa e Yoga à Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares. Diário Oficial da União da República Federativa do Brasil, Brasília,DF, 27 de mar de 2017. Disponível em: http://189.28.128.100/dab/docs/portaldab/documentos/prt_849_27_3_2017.pdf> Acesso em: 20 de junho de 2017.

BAUER, M.; GASKEL, G. Social Representations Theory Martin W. Bauer and George Gaskell Social Representations Theory: A Progressive. Research Programme for Social Psychology. Journal of Theory of Social Behaviour, 34 (4), 335-353, 2008.

BAUER, M.; GASKEL, G. Towards a paradigma for research on social representations. Journal of Theory of Social Behaviour, 29 (2), 163-186, 1999.

COSTA, L. A.; ZANELLA, A. V.; FONSECA, T. M. G. Psicologia social e arte: contribuições da revista Psicologia & Sociedade ao campo social. Psicologia & Sociedade, Belo Horizonte, v.28, n. 3, p. 604-615, 2016.

ELLMERICH, L. História da dança. São Paulo: Ed. Nacional, 1987.

GARAUDY, R. Dançar a vida. Rio de janeiro: Nova Fronteira, 1980.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

GUARESCHI, P. Representações Sociais: Alguns comentários oportunos. In: NASCIMENTO-SCHOLZE, C. (Org.) Novas Contribuições para a Teorização e Pesquisa em Representação Social. Florianópolis: Coletâneas da ANPEPP 10. 1996.

GUARESCHI, P. Representações Sociais: Avanços Teóricos e Epistemológicos. Temas em Psicologia, Ribeirão Preto, v. 8, n. 3, p. 249-256., 2000.

GUARESCHI, P. Psicologia social crítica. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2005.

GUARESCHI, P.; ROSO, A. Teoria das Representações Sociais – Sua história e seu potencial crítico e transformador. In: CHAMON, E. M. Q. O.; GUARESCHI, P. A.; CAMPOS, P. H. F. (Org.) Textos e debates em representação social. Porto Alegre: ABRAPSO, 2014. p.17-40.

JOVCHELOVITCH, S. Contextos do saber. Representações, comunidade e cultura. Petrópolis: Vozes, 2008.

MARCONDES, N. A. V.; BRISOLA, E. M. A.; SANTOS, S. R. DOS; CHAMON, E. M. Q. DE O. Repensando a interdisciplinaridade: contributos à atuação do assistente social na área da saúde the rethinking. Serv. Soc. & Saúde, Campinas, SP v. 11, n. 1 (13), p. 67-98 jan./ jun. 2012.

MARKOVÁ, I. The making of the theory of social representations. Cadernos de Pesquisa, 47(163), 358-374, Jan./Mar., 2017.

MOSCOVICI, S. Representações sociais: investigações em psicologia social. Rio de Janeiro: Vozes, 2013.

MOSCOVICI, S. Notes toward a description of social representation. European Journal of Social Psychology, 18, 211-250, 1988.

MOSÉ, V. A escola e os desafios contemporâneos. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2013.

PORTINARI, M. História da dança. Rio de Janeiro: Ed. Nova Fronteira, 1989.

RENGEL, L.; LANGENDONCK, R. V. Pequena viagem pelo mundo da dança. São Paulo: Ed. Moderna, 2006.

SAHTOURIS, E. Gaia: Do caos ao Cosmos. São Paulo: Integração, 1991.

SANTOS, B. S. Um discurso sobre as ciências. Porto: Edições Afrontamento, 1995.

SANTOS, B. S. Pela mão de Alice: O Social e político na pós-modernidade. Porto: Afrontamento; 1999.

SANTOS, B. S. A Universidade no século XXI. São Paulo: Cortez Editora, 2004.

TODOROVA, P. The contemporary transdisciplinary approach as a

methodology to aid students of humanities and social sciences. BCES Conference

Books, v. 11, pp. 187-191, Theme: Education in One World: Perspectives from different

Nations. Bureau for Educational Services, 2013.

WOSIEN, B. Dança: um caminho para a totalidade. São Paulo: Triom, 2000.




DOI: http://dx.doi.org/10.32813/rchv11n22018artigo2

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Ciências Humanas - eISSN: 2179-1120




Programa Anti-plágio utilizado:

CopySpider