formação política da juventude: A experiência do Assentamento Palmares-MA

  • Gerson Monteiro
  • Elisa Maria Andrade Brisola
Palavras-chave: Juventude do campo, Formação política, Identidade, Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra

Resumo

Este trabalho tem como objetivo refletir sobre a experiência da juventude do assentamento Palmares-MA e a formação política proporcionada pelo Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) resultante de uma pesquisa desenvolvida no mestrado em Desenvolvimento Humano: Formação, Políticas e Práticas Sociais do Programa de Pós Graduação da Universidade de Taubaté. Analisa as contribuições das práticas sociais desenvolvidas no assentamento com vistas à formação política dos jovens assentados e a construção da identidade Sem Terra. As categorias teóricas desse estudo foram examinadas a partir das contribuições de Arroyo; Caldart; Molina, (2004), Pizzeta (2007; 2004), Bogo (2007; 1999), Stédile; Fernandes (2012) Telles (1999), Castro (2009; 2006) entre outros. Nos achados da pesquisa constatou-se a partir da análise das práticas sociais vivenciadas no interior do assentamento, a percepção dos jovens assentados sobre a influência dessa formação em suas vidas e nas formas de intervenção na realidade. Depreende-se que os jovens se percebem como sujeitos de direito, e continuam na luta para garantir a permanência no campo, além de consolidar o sentimento de pertencimento ao MST e à comunidade na qual vivem.
Publicado
2014-02-04