O SUICÍDIO DO ZÉ NINGUÉM

análise social do autoaniquilamento em uma música dos Garotos Podres

Autores

DOI:

https://doi.org/10.32813/2179-1120.2020.v13.n3.a689

Palavras-chave:

Suicídio, Zé Ninguém, Garotos Podres

Resumo

Este artigo analisa o suicídio do personagem principal da música Zé Ninguém, da banda de punk rock Garotos Podres. Zé Ninguém é um mendigo. Não tem um trabalho e nem uma família. Como não está gerando lucros é considerado irrelevante, ou mesmo inexistente. As pessoas que passam pelas ruas, no máximo, o veem como um lixo estragando a paisagem urbana. A religião, que deveria socorrer os excluídos, absorve o discurso capitalista e instrumentaliza pessoas para a lucratividade de suas instituições. Cheio de sua própria nulidade, ele se cansa de existir e comete suicídio, acabando, assim, com sua vida irrelevante. Se, por um acaso, alguém se importa, deve-se lutar pela distribuição de renda, em favor da igualdade social. A educação, cuja transformação é extremamente complexa, é crucial para a sensibilização de que existem vários Zé Ninguém e, constantemente, de maneira desumanizada, se tornam apenas pedaços de carne em putrefação.

Metrics

Carregando Métricas ...

Referências

ALBUQUERQUE, Carlos. O Eterno Verão do Reggae. São Paulo: Editora 34, 1997.

ANDRÉ, William. Sobre o Conceito de Suicídio. Revista Estação Literária, Londrina, v. 20, p. 154-174, mar. 2018.

BÍBLIA: Português. Bíblia de estudo NVI. Coordenador de tradução: Luiz Sayão. São Paulo: Editora Vida, 2003.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil, 1988. Brasília: Senado Federal, Centro Gráfico, 1988.

CASTRO, Ramon Azevedo Silva et. al. Vulnerabilidades da População em Situação de Rua ao Comportamento Suicida. Revista de Enfermagem UFPE online, Recife, v. 13, n. 2, p. 431-437. 2019.

DURKHEIM, Émile. O Suicídio: Estudo de Sociologia. 1ª ed. Tradução: Monica Stahel. São Paulo: Martins Fontes, 2000.

FROMM, Erich. Ter ou Ser? Tradução: Nathanael C. Caixeiro. 4ª Ed. Rio de Janeiro: Guanabara, 1987.

GAROTOS PODRES. Programa do Jô. Entrevistador: Jô Soares. TV Globo: 21 de junho, 2004.

____. Zé Ninguém. In: Live in Rio. Rio de Janeiro: Not On Label, 2000. 1 CD. Faixa 09.

____. Zé Ninguém. In: Com a corda toda. São Paulo: Paradox Music, 1997. 1 CD. Faixa 09.

LEGIÃO URBANA. Geração Coca-Cola. In: Legião Urbana. São Paulo: EMI – Odeon, 1985. 1 CD. Faixa 06.

MARX, Karl. Crítica do Programa de Gotha. 1ª ed. Tradução: Rubens Enderle. São Paulo: Boitempo, 2014.

MARX, Karl e ENGELS, Friedrich. Manifesto do Partido Comunista. 10ª ed. Tradução: Álvaro Pina. São Paulo: Global, 2006.

____. A Sagrada Família: Crítica da Crítica Crítica: contra Bruno Bauer e seus seguidores. 5ª ed. Tradução: Sérgio José Schirato. São Paulo: Centauro, 2005.

MOREIRA, Gastão. Vídeo-Documentário. Botinada: a Origem do Punk no Brasil. São Paulo: Produtos ST2, 2006.

O’HARA, Craig. A Filosofia do Punk: mais do que barulho. 1ª ed. Tradução: Paulo Gonçalves. São Paulo: Radical Livros: 2005.

Downloads

Publicado

2020-12-21

Como Citar

1.
Marcos W. O SUICÍDIO DO ZÉ NINGUÉM: análise social do autoaniquilamento em uma música dos Garotos Podres. RCH [Internet]. 21º de dezembro de 2020 [citado 20º de janeiro de 2021];13(3). Disponível em: https://www.rchunitau.com.br/index.php/rch/article/view/689