DIGNIDADE HUMANA E VIOLAÇÕES DE DIREITOS EM A HORA DA ESTRELA

Autores

DOI:

https://doi.org/10.32813/2179-1120.2020.v13.n3.a662

Palavras-chave:

Direitos humanos, Dignidade da pessoa humana, Literatura, Clarice Lispector, Violação de direitos

Resumo

O romance A Hora da Estrela, de Clarice Lispector, narra a vida de Macabéa, que tem direitos violados cotidianamente. A narrativa nos leva a pensar sobre a importância da dignidade e a aplicação dos Direitos Humanos. Este trabalho analisa como a temática é abordada no romance, por meio das vivências da protagonista. O romance explicita violações a direitos da mulher, da criança, à alimentação, ao trabalho, ao afeto, à igualdade, a liberdade, entre outras. Clarice Lispector escancara a falta de dignidade humana na vida da protagonista, que ocupa um papel de vítima na sociedade. Assim, entende-se a importância de o indivíduo transpor o lugar de vítima e ocupar a posição de sujeito de direitos, ciente das reivindicações a serem feitas em prol da dignidade. Por meio da análise, concluímos a importância da obra ao expor de forma realista as rotineiras violações aos Direitos Humanos em nossa sociedade.

Metrics

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Ana Maria Klein, Universidade Estadual Paulista - UNESP

Professora na graduação e na pós-graduação da Universidade Estadual Paulista (Unesp), campus de São José do Rio Preto. É pedagoga, cientista social, mestra e doutora em Educação pela Universidade de São Paulo (USP).

Referências

ALVARENGA, Rúbia Zanotelli de. O trabalho decente como direito humano e fundamental. R. TRT 8ª Região, Belém, v. 48, n. 95, p. 1-421, jul/dez 2015. Disponível em https://siabi.trt4.jus.br/biblioteca/direito/doutrina/artigos/Revista%20do%20TRT08/TRT08%20v48%20n95%20p123-141%20jul-dez%202015.pdf. Acesso em 02 mar 2020.

ALVES, Joyce. A latinidade de Clarice Lispector: a proposta do escritor perceptor nas crônicas clariceanas. RelaCult, v. 3, ed. especial, dez 2017. Disponível em http://periodicos.claec.org/index.php/relacult/article/view/489/249. Acesso em 12 fev 2020.

BRASIL. Constituição Federal de 1988. Promulgada em 5 de outubro de 1988. Disponível em http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituição.htm. Acesso em 13 jul 2017.

BRASIL. Estatuto da Criança e do Adolescente. Lei nº 8.069, de 13 de julho de 1990. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L8069.htm. Acesso em 19 mar 2018.

CABRAL, Daniel Welton Arruda et al. Vygotsky e Freire: os conceitos de consciência e conscientização. Pesquisas e Práticas Psicossociais, v. 10, n. 2, São João del-Rei, jul/dez 2015, p. 412-422.

CANDIDO, Antonio. Direitos humanos e literatura. [200-?]. Disponível em https://bibliaspa.org/wp-content/uploads/2014/09/direitos-humanos-e-literatura-por-antonio-candido.pdf. Acesso em 10 mar 2020.

CANDIDO, Antonio. O direito à literatura e outros ensaios. 5 ed. Rio de Janeiro: Ouro Sobre Azul, 2011.

CÔRTES, Cristiane Felipe Ribeiro de Araujo. Alteridade e subalternidade em Clarice Lispector e Conceição Evaristo. Literafro, 2019. Disponível em http://www.letras.ufmg.br/literafro/arquivos/autoras/ConceicaoCr08ChristianoFelipe.pdf. Acesso em 05 fev 2020.

DAMON, William. O que o jovem quer da vida? Como pais e professores podem orientar e motivar os adolescentes? Summus Editorial: São Paulo, 2009.

FREIRE, Paulo. Conscientização: Teoria e prática da libertação: uma introdução ao pensamento de Paulo Freire. São Paulo: Cortez e Moraes, 1979.

GALEANO, Eduardo. O livro dos abraços. Porto Alegre: L&PM Pocket, 2009.

GOTLIB, Nádia Battela. Clarice: uma vida que se conta. São Paulo: Ática, 1995.

HIRIGOYEN, Marie France. A violência no casal: da coação psicológica à agressão física. Trad. Maria Helena Kühner. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2006.

KLEIN, Ana Maria. Projetos de vida e escola: a percepção de estudantes do ensino médio sobre a contribuição das experiências escolares aos seus projetos de vida. Tese (Doutorado em Educação) - Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo. São Paulo, 2011. Disponível em https://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/48/48134/tde-10082011-141814/pt-br.php. Acesso em 10 nov 2019.

KLEIN, Ana Maria; OLIVEIRA, Flaviana de Freitas. Declaração Universal Dos Direitos Humanos e educação: compromissos do estado brasileiro democrático por meio de planos e diretrizes. In: BRASIL. Ministério Público Federal. Direitos humanos fundamentais: 70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos e 20 anos do reconhecimento da jurisdição da Corte Interamericana de Direitos Humanos e as mudanças na aplicação do direito no Brasil. Brasília: MPF, 2019.

LISPECTOR, Clarice. A descoberta do mundo. Rio de Janeiro: Rocco, 1999.

LISPECTOR, Clarice. A hora da estrela. Rio de Janeiro: Rocco, 1998.

ONU. Organização das Nações Unidas. Declaração Universal dos Direitos Humanos. França, 1948.

PERROT, Michelle. As mulheres ou o silêncio da história. Travessa: Bauru, 2005.

SAWAIA, Bader Burihan. Fome de felicidade e liberdade. In: CENTRO DE ESTUDOS E PESQUISAS EM EDUCAÇÃO, CULTURA E AÇÃO COMUNITÁRIA – CENPEC. Muitos lugares para aprender. São Paulo: CENPEC/Fundação Itaú Social/ Unicef, 2003. Disponível em http://memoria.cenpec.org.br/uploads/F547_055-05-00001%20Muitos%20lugares%20para%20aprender-OK.pdf#page=53. Acesso em 15 mar 2020.

SILVA, Aida Maria Monteiro.; TAVARES, Celma. Educação em direitos humanos no Brasil: contexto, processo de desenvolvimento, conquistas e limites. Educação. Porto Alegre, v. 36, n. 1, p. 50-58, jan/abr 2013.

SILVA, José Afonso da. Curso de direito constitucional positivo. São Paulo: Malheiros, 2010.

VYGOTSKY, LEV. A formação social da mente: o desenvolvimento dos processos psicológicos superiores. São Paulo: Martins Fontes, 1998.

Downloads

Publicado

2020-12-21

Como Citar

1.
de Freitas Oliveira F, Klein AM. DIGNIDADE HUMANA E VIOLAÇÕES DE DIREITOS EM A HORA DA ESTRELA. RCH [Internet]. 21º de dezembro de 2020 [citado 20º de janeiro de 2021];13(3). Disponível em: https://www.rchunitau.com.br/index.php/rch/article/view/662