A Qualidade Política da Territorialidade nos Serviços de Transportes de Passageiros

Uma proposta de pesquisa com os cotidianos

DOI:

https://doi.org/10.32813/2179-1120.2020.v13.n1.a608

Palavras-chave:

Qualidade política. Pesquisa com os cotidianos. Territorialidade

Resumo

Este ensaio tem como objetivo principal refletir sobre a territorialidade tendo como nuclear o conceito de qualidade política na perspectiva metodológica da pesquisa com os cotidianos. Se constitui num ensaio porque não dispõe da presença em campo necessária para que os personagensconceituais possam ser cocriados na dinâmica dos cinco movimentos propostos por Andrade, Caldas e Alves (2019): o sentimento do mundo; ir sempre além da já sabido; criar novos personagensconceituais; narrar a vida e literaturizar a ciência e ecce femina. A abordagem do conceito de qualidade política pelo viés dos cinco movimentos acima nos ajuda a questionar alguns pressupostos que estão subjacentes ao conceito no contexto da produção da territorialidade num caso específico de serviços de transportes na cidade de Jacobina, Bahia, no Piemonte da Diamantina. Entendemos que a pesquisa com os cotidianos, como abordagem metodológica e princípio epistemológico contribui relevantemente para a ampliação do conceito de qualidade política como ferramenta analítica para compreensão da territorialidade e de outros fenômenos, a partir dos poderes exercidos pelos agentes territoriais nas frestas do controle dominante, nos vãos da vigilância permanente entre os quais as forças se agrupam inesperadamente para exercer territorialidades necessárias. A qualidade política deste ensaio está em seu ponto de chegada, no sentido de, considerando sua contribuição para compreensão de uma realidade, ir além da lógica formal que está em sua tessitura textual que a proposta da pesquisa com os cotidianos em seus movimentos pode oferecer.

Referências

ANDRADE, Nívea; CALDAS, Alessandra Nunes.; ALVES, Nilda. Os movimentos necessários às pesquisas com os cotidianos. Após muitas ‘conversas’ acerca deles. In Estudos do cotidiano, currículo e formação docente: questões metodológicas, políticas e epistemológicas. Inês Barbosa de Oliveira, Leonardo Ferreira Peixoto, Maria Luiza Süssekind (organizadores) – Curitiba: CRV, 2019.
BAKHTIN, Mikhail; VOLOCHINOV. Marxismo e filosofia da linguagem: problemas fundamentais do método sociológico na ciência da linguagem. 9. ed. Tradução: Michel Laud; Yara Frateschi Vieira. Colaboração: Lúcia Teixeira Wisnik; Carlos Hebnrique D. Chagas Cruz. São Paulo: Editora Hucitec/Annablume, 2002.
BOBBIO, Norberto. Estado, governo, sociedade. Fragmentos de um dicionário político. Tradução Marco Aurélio Nogueira. Posfácio: Celso Lafer. 22. ed., Rio de Janeiro/São Paulo: Paz e Terra, 2019.
CERTEAU, Michel de. A invenção do cotidiano: artes de fazer. Tradução de Ephraim Ferreira Alves. 2. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 1994.
COELHO NETO, Agripino S. Territorialidade: uma proposição teórico-conceitual. In Ivonete B. Amorim, Ana Margarete G. da SILVA e Selma D. de CASTRO. (orgs.). Educação, territorialidade e formação docente: contextualizando pesquisas. Curitiba: CRV, 2016.
DEMO, Pedro. Pobreza política: a pobreza mais intensa da pobreza brasileira. Campinas, SP: Armazém do Ipê (Autores Associados), 2006.
SANTOS, Boaventura de S. A crítica da razão indolente: Contra o desperdício da experiência. Para um novo senso comum. A ciência, o direito e a política na transição paradigmática. 3. ed. São Paulo: Cortez, 2001.
SILVA, Tomaz Tadeu. Documentos de identidade: uma introdução às teorias do currículo. 3. ed., Belo Horizonte: Autêntica, 2011.

Downloads

Publicado

2020-04-30