A PRODUÇÃO ACADÊMICA DOS ALUNOS DE UMA DISCIPLINA DO PROGRAMA DE MESTRADO PROFISSIONAL EM EDUCAÇÃO: FORMAÇÃO DE FORMADORES, DA PUC-SP: o sabor da autoria

Jeanny Silva, Laurinda Almeida, Elisa Bonafé

Resumo


Neste artigo discutimos as contribuições advindas da elaboração e publicação de uma produção acadêmica por alunos participantes de uma disciplina do curso de Mestrado Profissional em Educação: Formação de Formadores da PUC-SP. A disciplina tem por objetivo incentivar a apropriação dos saberes de maneira crítico-reflexiva, abrangendo a vida cotidiana da escola e os conhecimentos derivados da experiência dos formandos. Várias estratégias foram empregadas ao longo da Disciplina. Uma foi avaliada pelos alunos como potencialmente mobilizadora: o Diário de Itinerância; dispositivo que permite o resgate das memórias afetivas como alavanca para o trabalho com textos teóricos, oportunizando a teorização da prática. A experiência da utilização do Diário de Itinerância mobilizou o grupo de 30 alunos a publicar um livro contendo a coletânea de seus textos. Para avaliar a contribuição dessa experiência para o desenvolvimento cognitivo-afetivo dos estudantes, foi elaborado um questionário com objetivos de reconhecer a possibilidade do uso do diário de itinerância como estratégia formativa e identificar na voz de formadores de professores os significado e sentidos construídos sobre essa produção acadêmica. Os dados foram analisados com base nos princípios da Análise de Discurso e fundamentados em autores do campo da formação docente. Dentre as apreciações dos alunos destacaram-se: o processo reflexivo resultante de narrar suas próprias experiências relacionando-as com o referencial teórico discutido durante a disciplina, garantindo maior interesse e intimidade com o texto lido; a ressignificação dos saberes e práticas, percebendo que suas trajetórias profissionais fornecem um universo de ideias que possibilitam analisar os dilemas da formação docente.


Palavras-chave


Produção Acadêmica. Mestrado profissional em educação. Diário de Itinerância. Estratégia de Formação.

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, Laurinda R. Ensino Noturno – Memórias de uma experiência. São Paulo: Loyola, 2010.

__________. O coordenador pedagógico e a questão do cuidar. In: ALMEIDA, Laurinda R. de e PLACCO, Vera M. N. de Souza. (org). O coordenador pedagógico e questões da contemporaneidade. São Paulo: Edições Loyola, 2011.

___________. Diário de itinerância, recurso para formação e avaliação de estudantes universitários. Fundação Carlos Chagas. Estudos em Avaliação Educacional, São Paulo, v. 23, n. 51, p. 250-269, jan./abr. 2012.

___________. Memórias de incidentes críticos como impulso para iniciar processos formativos. In. PLACCO, Vera M. N. S.; ALMEIDA, Laurinda R.(orgs.) O coordenador pedagógico no espaço escolar: articulador, formador e transformador. São Paulo: Edições Loyola, 2015.

___________; SILVA, Jeanny M. S.; BONAFÉ, Elisa M. (orgs.) Nossa itinerância por textos acadêmicos: a expressão da integração cognitivo-afetiva. Campinas, SP: Pontes Editores, 2017.

ANDRÉ, Marli D. A.; VIEIRA, Marli M. S. O coordenador pedagógico e a questão dos saberes. In: ALMEIDA, L.; PLACCO, V. (Orgs.). O coordenador pedagógico e questões da contemporaneidade. São Paulo, Loyola, 2006.

BARBIER, René. A Pesquisa-ação. Brasília: Liberlivro, 2007.

Bardin, Laurence. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011.

DELORY-MOMBERGER, Christine. Formação e socialização: os ateliês biográficos de projeto. Educação e Pesquisa: São Paulo, v.32, n.2, p. 359-371, maio/ago. 2006.

FURLANETTO, Ecleide C. A recuperação da história de vida da instituição: um projeto de formação. In: ALMEIDA, Laurinda R.; PLACCO, Vera M. N. S. O Coordenador Pedagógico e a formação centrada na escola. São Paulo: Edições Loyola, 2013.

GARCÍA, Carlos M. A formação de professores: novas perspectivas baseadas na investigação sobre o pensamento do professor. In: NÓVOA, Antônio. Os professores e sua formação. Lisboa: Dom Quixote, 1992.

JOSSO, Marie-Christine. Experiência de vida e formação. São Paulo: Cortez, 2004.

LARROSA, Jorge B. Notas sobre a experiência e o saber de experiência. Revista Brasileira de Educação. n.19, pp.20-28, jan./abr. 2002.

PÉREZ GÓMEZ, A. O pensamento prático do professor – a formação do professor como profissional reflexivo. In. In. Nóvoa, A. Os professores e sua formação. Lisboa: Dom Quixote, 1992.

PIMENTA, Selma G. Formação de professores: identidade e saberes da docência. In. PIMENTA, Selma G. (org.) Saberes pedagógicos e atividade docente. 7ª ed. São Paulo: Cortez, 2009.

PLACCO, Vera M. N S.; SOUZA, Vera L. T. (orgs.) Aprendizagem do adulto professor. São Paulo: Edições Loyola, 2006.

ROLDÃO, Maria C. Estratégias de ensino: o saber e o agir do professor. Vila Nova de Gaia: Fundação Manoel Leão, 2010.

SOUZA, Vera L. T.; PETRONI, Ana P.; DUGNANI, Lilian A. C. A dimensão do trabalho coletivo na escola: intervenções com a equipe gestora. In: ALMEIDA, Laurinda R.; PLACCO, Vera M. N. S. O Coordenador Pedagógico no espaço escolar articulador, formador e transformador. São Paulo: Edições Loyola, 2015.

WALLON, Henrri. A evolução psicológica da criança. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

ZABALZA, Miguel. Diários de aula, um instrumento de pesquisa e desenvolvimento profissional. Porto Alegre: Artmed, 2007.




DOI: http://dx.doi.org/10.32813/2179-1120.2019.v12.n2.a535

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Revista Ciências Humanas

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

Revista Ciências Humanas - eISSN: 2179-1120




Programa Anti-plágio utilizado:

CopySpider