REPRESENTAÇÃO SOCIAL DE RISCOS NO TRABALHO POR ALUNOS DO CURSO TÉCNICO DE SEGURANÇA DO TRABALHO

Eliane Chagas, Rita de Cássia Lima

Resumo


Avanços científicos e o progresso tecnológico recentes orientaram mudanças nas qualificações requeridas na formação técnica. Qualidades como gerenciar e prevenir riscos são requeridas deste novo profissional. Esse panorama chama a atenção para a relevância da formação do trabalhador, eixo do estudo aqui apresentado, cujo objetivo foi investigar representações sociais de “riscos no trabalho” por alunos do Curso Técnico de Segurança do Trabalho. A pesquisa se fundamentou na teoria moscoviciana das representações sociais. O estudo, de caráter quantitativo e qualitativo, foi realizado em uma instituição federal do Estado do Rio de Janeiro, na modalidade pós-médio e contou com a participação de 22 alunos. Foi aplicado um questionário de múltipla escolha com situações de “riscos no trabalho”. Buscou-se avaliar o nível de concordância e o nível de importância atribuídos a ações relacionadas a riscos no trabalho, utilizando-se uma escala de respostas do tipo Likert de 5 pontos. Esse material foi complementado por entrevista semidirigida, analisada com apoio da análise de conteúdo. A seguinte questão foi escolhida como recorte para esse trabalho e utilizou a técnica de “indução de metáforas”: “Se Risco no Trabalho pudesse ser uma outra coisa (um animal, um vegetal, um mineral...) o que seria? Por que?”. A pesquisa revelou conhecimento superficial e pouco teórico do “risco no trabalho”, como se os acidentes ocorressem por fatalidade. Aponta a relevância de se avançar em pesquisas sobre representações sociais nessa área de formação, valorizando-se os discursos e as práticas dos alunos.


Palavras-chave


Riscos no trabalho. Riscos. Formação Profissional. Cursos Técnicos. Representações Sociais.

Texto completo:

PDF

Referências


ANCHIETA, V.C.C.; GALINKIN, A.L.; MENDES, A.M.B.; NEIVA, E.R. Trabalho e Riscos de Adoecimento: Um Estudo entre Policiais Civis. Psicologia: Teoria e Pesquisa. Abr-Jun 2011, Vol. 27 n. 2, pp. 199-208. Universidade de Brasília.

ANDRADE, D. B. da S. F. O lugar feminino na escola: um estudo em representações sociais. Tese de doutorado. Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, Brasil, 2006. https://tede2.pucsp.br/handle/handle/16255

AREOSA, João (2007a), «As percepções de riscos dos trabalhadores: conhecimento ou “iliteracia”?», Colóquio Internacional de Segurança e Higiene Ocupacionais - SHO2007, Guimarães, 131-134.

AREOSA, João (2007b). Atitudes comportamentais perante o risco, Congresso Internacional de Segurança e Higiene no Trabalho 2007, Porto, 4-8.

AREOSA, João (2007c). As percepções de riscos num serviço de imagiologia hospitalar. GUEDES SOARES et al. (Orgs.). Riscos, públicos e industriais. Lisboa: Edições Salamandra, 1233-1248.

BARDIN, L. Análise de conteúdo/ Laurence Bardin: tradução Luis Antero Reto. Augusto Pinheiro – São Paulo: Edições 70. 2016.

BECK, Ulrich. Sociedade de risco: rumo a uma outra modernidade. Tradução de Sebastião Nascimento. São Paulo: Ed. 34, 2011. 368 p.

BERNARDO, M. H. Representações dos trabalhadores sobre os riscos em uma usina química. Cadernos de Psicologia Social do Trabalho. v.5. São Paulo dez. 2002.

BERNSTEIN, Peter L. Desafio aos Deuses: a fascinante história do risco/ Peter L. Bernstein; tradução Ivo Korytowski. Rio de Janeiro: Elsevier, 1997.

BRASIL. Ministério do Trabalho. NR-6: equipamento de proteção individual - EPI. In: Segurança e Medicina do Trabalho. 61a. ed. São Paulo: Atlas; 2007. p.73-80.

CAMPOS, P. H. Representações Sociais, Risco e Vulnerabilidade. Representação da Saúde: Abordagens Contemporâneas. Tempus, Actas de Saúde Coletiva, v. 6, n. 3, p.14-21, (2012).

DOUGLAS, M. Risk and Blame: Essays in cultural theory. London: Routledge, 1992.

DWYER, Tom. Vida e morte no trabalho: acidentes do trabalho e a produção social do erro. Rio de Janeiro: Multiação Editorial, 2006.

FACCHINI, L. A.; FASSA, A. G.; DALL’AGNOL, & M. M.; LIMA, R. C. Ícones para mapas de riscos: uma proposta construída com os trabalhadores. Cad. Saúde Pública., Rio de Janeiro, 13(3):497-502, jul-set, 1997.

FREITAS, C. M., & GOMEZ C. M. (1996/1997). Análise de riscos tecnológicos na perspectiva das ciências sociais. História, Ciências, Saúde – Manguinhos, 3(3), 485-504.

GIDDENS, A. As consequências da modernidade/ Anthony Giddens; tradução Raul Fiker. – São Paulo: Editora Unesp, 1991. – (Biblioteca básica).

GIL, A.C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6 ed. São Paulo: Atlas, 2008.

GUARESCHI, P; JOVCHELOVITCH, S. Textos em representações sociais/ Pedrinho Guareschi, Sandra Jovchelovitchi (orgs.); prefácio Serge Moscovici – 14. Ed. – Petrópolis, RJ: Vozes, 2013.

JODELET, D. Experiência e Representações Sociais. In: MENIN, M.S. S; SHIMZU, A.M(Org.) Experiência e Representação Social: questões teóricas e metodológicas. São Paulo: Casa do Psicólogo, p. 23-56, 2005.

JODELET, Denise. “Representações sociais: um domínio em expansão”. In: JODALET, Denise (Org.). As representações sociais. Rio de Janeiro: EDUERJ, 2001.p. 17-43.

LIMA, R. C., CESAR, G. V., MARINEL, M. D., LUIZ, A. F.; FASSA, A. C. G. Percepção de exposição a cargas de trabalho e riscos de acidentes em Pelotas, RS (Brasil)* Rev. Saúde Pública, 33 (2): 12-46, 1999- www.fsp.usp.br/~rsp.

LOEWENSTEIN, George et al. (2001), «Risk as feelings», Psychological Bulletin, 127, 267-286.

MARZIALE, M.H.P.; NISHIMURA, Y.N.; FERREIRA, M.M. riscos de contaminação ocasionados por acidentes de trabalho com material pérfuro-cortante entre trabalhadores de enfermagem. Rev Latino-am Enfermagem 2004 janeiro-fevereiro; 12(1):36-42 Artigo Original www.eerp.usp.br/rlaenf 36

MAZZOTTI, T. B. (1998). Investigando os núcleos figurativos como metáforas. I Jornada Internacional sobre Representações Sociais. CD-ROM. Natal-RN, p. 1-12.

MINISTÉRIO DO ESTADO DO TRABALHO. Portaria n.º 3.214, de 08 de junho de 1978.

MORAES, P.M de; CHAMON, E.M.Q.O; CHAMON, M.A. Risco: um estudo em representações sociais. In: X Encontro Latino Americano de Iniciação Científica e VI Encontro Latino Americano de Pós Graduação. Revista Univap. São José dos Campos, SP, V13, n.24, out. 2006. ISSN 1517-3275. Universidade do Vale do Paraíba.

MOSCOVICI, Serge. Representações Sociais: investigações em psicologia social/ Serge Moscovici; editado em inglês por Gerard Duveen; traduzido do inglês por Pedrinho A. Guareschi. 11 ed.- Petrópolis, RJ: Vozes, 2015.

MOSCOVICI, S. (2009). Representações sociais – Investigações em psicologia social (6ª ed.). Editora Vozes.

MOSCOVICI, S. Representações Sociais: Investigações em Psicologia Social. Trad. Pedrinho A. Guareschi. 6. ed. Petrópolis: Vozes, 2011.

MOSCOVICI, S. A psicanálise, sua imagem e seu público. Petrópolis: Vozes, 1976.

MOSCOVICI, S. (1961). La psychanalyse, son image et son public: étude sur la representation sociale de la psychanalyse. Paris: Presses Universitaires de France.

NEVES, T. P. As contribuições da ergologia para a compreensão da biossegurança como processo educativo: perspectivas para a saúde ambiental e do trabalhador. O Mundo da Saúde São Paulo: 2008: jul/set 32(3):367-375.

PERES, F., ROZEMBERG, B; LUCCA, S.R.de. Percepção de riscos no trabalho rural em uma região agrícola do Estado do Rio de Janeiro, Brasil: agrotóxicos, saúde e ambiente. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, 21(6):1836-1844, nov-dez, 2005.

SÁ, C. P. (1998). A construção do objeto de pesquisa em representações sociais. Rio de Janeiro, Brasil: Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

SIMONELLI, Angela Paula, Camarotto, João Alberto, Spiridião Bravo, Ecléa, Andrade de Gouveia Vilela, Rodolfo, Proposta de articulação entre abordagens metodológicas para melhoria do processo de reabilitação profissional. Revista Brasileira de Saúde Ocupacional [en linea] 2010, 35 (Enero-Junio) : [Fecha de consulta: 6 de noviembre de 2018] Disponible en: ISSN 0303-7657

TAKAHASHI, M.A.B.C.; SILVA, R.C.D.; LACORTE, L.E.C. et al. Precarização do trabalho e risco de acidentes na construção civil: um estudo com base na Análise Coletiva do Trabalho (ACT) Saúde sociedade, v.21, n.4, p.976-988, 2012.

TEIXEIRA, Antonia Maria da Silva; ROCHA, Cristina Maria Vieira da. Vigilância das coberturas de vacinação: uma metodologia para detecção e intervenção em situações de risco. Epidemiol. Serv. Saúde, Brasília, v. 19, n. 3, p. 217-226, set. 2010. Disponível em . acessos em 06 nov. 2018. http://dx.doi.org/10.5123/S1679-49742010000300004.




DOI: http://dx.doi.org/10.32813/rchv11n22018artigo4

Apontamentos

  • Não há apontamentos.