PRÁTICAS DOCENTES E ANCORAGEM DA INCLUSÃO DE SURDOS NO ENSINO SUPERIOR

Lila Maria Spadoni Lemes, Elza Maria Silva

Resumo


Este artigo apresenta um estudo de caso realizado numa Instituição de Ensino Superior localizada no estado de Goiás, que recebe pela primeira vez, um aluno surdo. O estudo foi construído através de observação, análise documental e aplicação de questionário aos professores do curso de Educação Física, visando avaliar como foi o processo de inclusão deste aluno. Os resultados são analisados a partir da organização da instituição, das características e história do aluno e das ideias dos professores a respeito do processo de ensino vivido diante desta nova situação. Utiliza-se a perspectiva das Representações Sociais para analisar o impacto das mudanças nas práticas dos professores, contrapondo os modelos da integração e da inclusão no ensino superior.


Palavras-chave


Inclusão. Ensino superior. Educação de surdos. Representações Sociais.

Texto completo:

PDF

Referências


Brasil 1989. Secretaria de Educação Especial. Lei n. 7.853, de 24 de outubro de 1989. Brasília, DF.

Brasil 1996. Ministério da Educação. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei n. 9.394. Brasília/DF.

Campos MLIL 2013. Educação Inclusiva para surdos e as políticas vigentes. In. CBF Lacerda, LF SANTOS. Tenho um aluno surdo, e agora? Introdução a educação de surdos. EduFSCar , São Carlos, p 37-61 .

Gesser A 2009. Libras? Que língua é essa? Crenças e preconceitos em torno da língua de sinais e da realidade surda. Parábola, São Paulo, 88 pp.

Goldfeld M 1997. A criança surda: linguagem e cognição numa perspectiva sócio-interacionista. Plexus, São Paulo, 172 pp.

Jodelet D 1993. Representações sociais: um domínio em expansão. In: D Jodelet. As Representações Sociais. UFRJ- Faculdade de Educação, Rio de Janeiro, p. 17-44.

Mantoan MT 2015. Inclusão escolar – O que é? Por quê? Como fazer? Summus, São Paulo, 55 pp.

Mendes EG 2006. A radicalização do debate sobre inclusão escolar no Brasil. Rev Bras de Edu. 11(33)387-405.

Moscovici S 2012. A psicanálise, sua imagem e seu público. Vozes, Petrópolis, 456 pp.

Moscovici S 2015. Representações sociais: investigações em psicologia social. Vozes, Petrópolis, 408 pp.

Moura MC 2013. Surdez e Linguagem. In. CBF Lacerda, LF Santos. Tenho um aluno surdo, e agora? Introdução à educação de surdos. EduFSCar, São Carlos, p 37-61.

Myers D 2014. Psicologia Social. AMGH, Porto Alegre, 568 pp.

Ramos R 2010. Inclusão na prática: estratégias eficazes para a educação inclusiva. Summus, São Paulo, 128 pp.

Santos ES 2009. Comunidade Surda: a questão de suas identidades. In: F DM Bordas, N Galvão, T Miranda. Educação inclusiva, deficiência e contexto social: questões contemporâneas. Salvador, EDUFBA, 354 pp.

Sassaki R K 1997. Inclusão: construindo uma sociedade para todos. WVA, Rio de Janeiro, 168 pp.

Skliar, C 1999. Atualidade da educação bilíngue para surdos. Mediação, Porto Alegre, 272 pp.

Spadoni, L 2016. Psicologia aplicada ao direito. LTR, São Paulo, 127 pp.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.