MEMÓRIAS DE PROFESSORES SOBRE OS CONFLITOS QUE VIVERAM NA INFÂNCIA: um pressuposto para a formação

Vanessa Nassif, Mariana de Souza

Resumo


Esta pesquisa se propôs a evidenciar as memórias dos professores acerca dos conflitos entre crianças na sua infância e de como se davam as intervenções dos adultos; buscando identificar quais as vivências que os professores possuem sobre resoluções de conflito. A relevância dessa pesquisa se fundamenta na visível inquietude dos professores frente aos conflitos entre os alunos.  Nota-se a ausência de formação que norteie as ações dos professores no sentido de mediar os conflitos entre os alunos visando o desenvolvimento moral desses e o cuidado com as relações interpessoais dentro do convívio escolar. Realizou-se uma contextualização acerca das questões referentes ao desenvolvimento infantil, sobre a infância e suas relações com o mundo, sobre os conflitos e suas concepções e como a escola e os professores os veem e como intervêm quando acontecem. Para a realização desta pesquisa, de natureza qualitativa, participaram 29 professoras de Educação Infantil e Anos Iniciais do Ensino Fundamental de uma escola particular de um município do Vale do Paraíba Paulista. Foi utilizado como instrumento para a coleta de dados o grupo focal. A análise dos dados obtidos realizou-se por meio da Análise de Conteúdo. Os resultados preliminares apontam que os conflitos vividos na infância podem ser categorizados por aqueles que tiveram ajuda do adulto, o adulto que coagiu e o adulto não teve participação nos processos de mediação. São conflitos que aconteceram na escola, em casa ou na rua e que geraram fortes sentimentos, como raiva, injustiça, arrependimento, culpa, etc. Quanto à forma de intervir nos conflitos, os professores apontam a organização da escola quanto à essa temática, a importância da formação docente e do diálogo

Palavras-chave


Desenvolvimento Humano; Conflitos; Intervenção; Formação de Professores.

Texto completo:

PDF

Referências


BATTESTIN C.; NOGARO A. Sentidos e contornos da inovação na educação. Revista HOLOS 2. 2016. pp.357-372.

BAUER, M.W.; GASKELL, G. Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som: um manual prático. Petrópolis, RJ: Vozes, 2002.

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental. Referencial curricular nacional para a educação infantil / Ministério da Educação e do Desporto, Secretaria de Educação Fundamental. — Brasília: MEC/SEF, 1998. 3v.: il.

CECCON, C. ET AL. Conflitos na escola: modos de transformar. São Paulo, CECIP, 2009.

CHRISTO, E.C: GRAÇA M.D.D.S. Criatividade em arteterapia: pintando & desenhando, recortando, colando & dobrando. 4 ed. Rio de Janeiro: Wak, 2008.

CARVALHO, P. C. A., et al. O problema da comunicação e convivência como causa dos conflitos na escola e o papel do discurso do professor mediador escolar e comunitário. INTERFACES DA EDUCAÇÃO. 3(9), 2012. pp.133-145.

COSTA, M. dá L. V. F. A promoção da inovação e mudança nas escolas de 1º Ciclo em agrupamento, no Coelho de Lourdes. Dissertação de Mestrado, 2008.

GUERRA, M. A. S. Adiantar-se ao futuro: agrupamentos de alunos. In: INBERNÓN, F. e JARANTA, B. Pensando o futuro da educação: uma escola para o século XXII. Porto Alegre: Penso, 2015.

LA TAILLE, Y, Limites: três dimensões educacionais. São Paulo, Ática, 2000.

LOOS, H.; ZELLER, T. V. Aprendendo a “Brigar Melhor”: Administração de conflitos sem violência na escola. Interação em Psicologia. n. 11, v.2, p.281-289, 2007.

MORIN, E. A cabeça bem-feita: repensar a reforma, reformar o pensamento 20 ed. Rio de Janeiro- RJ. Bertrand Brasil, 2012.

SASTRE, G.; MORENO, M. M. Resolução de conflitos e aprendizagem emocional: gênero e transversalidade. São Paulo: Moderna, 2002.

TOGNETTA, L. R. P. A formação da personalidade ética: estratégias de trabalho com afetividade na escola. Campinas: Mercado de letras, 2009.

______; VINHA, T. Conflitos na instituição educativa: perigo ou oportunidade? Contribuições da psicologia. Campinas-: Mercado de Letras, 2011.

TONUCCI, F. Os alunos na escola do amanhã. In: INBERNÓN, F. e JARANTA, B. Pensando o futuro da educação: uma escola para o século XXII. Porto Alegre: Penso, 2015.

XAVIER, A.C. Educação, tecnologia e inovação: o desafio da aprendizagem hipertextualidade na escola contemporânea. Revista (Com) Textos Linguísticos – Edição especial ABEHTE, Espirito Santo: UFES, v. 7, n. 8.1, 2013.




DOI: http://dx.doi.org/10.32813/rchv11n22018artigo11

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Revista Ciências Humanas

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

Revista Ciências Humanas - eISSN: 2179-1120




Programa Anti-plágio utilizado:

CopySpider