Incidência de sintomas depressivos em estudantes de psicologia

Diogo Fagundes

Resumo


Esta pesquisa objetivou conhecer a incidência de sintomas depressivos em estudantes de Psicologia. Tratou-se de uma pesquisa tipo survey com 129 estudantes universitários, (masculino M= 22,68 e DP= 5,452 e feminino M= 23,80 e DP= 8,612) realizado em uma Universidade na cidade de Petrópolis -RJ. Foi utilizado o inventário Beck Depression Inventory- BDI e submetido ao software SPSS -18.0 para análises estatísticas e descritivas. O estudo mostrou que 48,1% dos estudantes possuem indicativo para sintomas depressivos, superando a média estatística nacional. Espera-se que os resultados encontrados nesse estudo possa sinalizar a necessidade de um melhor mapeamento da depressão, com a inserção de um diagnóstico diferencial combinado com outros instrumentos psicológicos, assim como, verificar como e quais indicadores podem estar influenciando a incidência desses sintomas nesse público, melhorando o olhar nas relações interpessoais no âmbito das instituições do ensino superior.


Palavras-chave


Depressão; Estudantes; Psicologia.

Texto completo:

PDF

Referências


ABELA, John RZ et al. Interpersonal vulnerability to depression in high-risk children: The role of insecure attachment and reassurance seeking. Journal of Clinical Child and Adolescent Psychology, v. 34, n. 1, p. 182-192, 2005.

DE MELO ÁLVARES, Amanda; RÉGIS LOBATO, Gledson. Um estudo exploratório da incidência de sintomas depressivos em crianças e adolescentes em acolhimento institucional. Temas em Psicologia, v. 21, n. 1, 2013.

AMERICAN PSYCHIATRIC ASSOCIATION et al. DSM-5: Manual diagnóstico e estatístico de transtornos mentais. Artmed Editora, 2014.

ANDRADE, Laura et al. Prevalence of ICD-10 mental disorders in a catchment area in the city of São Paulo, Brazil. Social psychiatry and psychiatric epidemiology, v. 37, n. 7, p. 316-325, 2002.

MORAES RAMOS ANDRADE, Tânia; DE LIMA ARGIMON, Irani Iracema. Sintomas depressivos e uso de Cannabis em adolescentes. Psicologia em Estudo, v. 13, n. 3, 2008.

ANTONUCCIO, David O.; DANTON, William G.; DENELSKY, Garland Y. Psychotherapy versus medication for depression: Challenging the conventional wisdom with data. Professional Psychology: Research and Practice, v. 26, n. 6, p. 574, 1995.

AROS, Marcelo Salomão; YOSHIDA, Elisa Medici Pizão. Estudos da depressão: instrumentos de avaliação e gênero. Boletim de psicologia, v. 59, n. 130, p. 61-76, 2009.

BAPTISTA, Makilim Nunes; BAPTISTA, Adriana Said Daher; DIAS, Rosana Righetto. Estrutura e suporte familiar como fatores de risco na depressão de adolescentes. Psicologia: ciência e profissão, v. 21, n. 2, p. 52-61, 2001.

BAUMAN, Zygmunt. Modernidade Líquida, tradução Plínio Augusto de Souza Dentzien–Rio de Janeiro. 2001.

BLAS, Erik; KURUP, Anand Sivasankara (Ed.). Equity, social determinants and public health programmes. World Health Organization, 2010.

BOING, Antonio Fernando et al. Associação entre depressão e doenças crônicas: um estudo populacional. Revista de Saúde Pública, v. 46, p. 617-623, 2012.

BORGES, Lucelia Justino et al. Fatores associados aos sintomas depressivos em idosos: estudo EpiFloripa. Revista de Saúde Pública, v. 47, p. 701-710, 2013.

BOUMA, Esther MC et al. Stressful life events and depressive problems in early adolescent boys and girls: the influence of parental depression, temperament and family environment. Journal of affective disorders, v. 105, n. 1, p. 185-193, 2008.

BRANDTNER, Maríndia; BARDAGI, Marucia. Sintomatologia de depressão e ansiedade em estudantes de uma universidade privada do Rio Grande do Sul. Gerais: Revista Interinstitucional de Psicologia, v. 2, n. 2, p. 81-91, 2009.

CANGUSSU, Renata de Oliveira et al. Depressive symptoms in breast cancer: Beck Depression Inventory-Short Form. Jornal Brasileiro de Psiquiatria, v. 59, n. 2, p. 106-110, 2010.

CHACHAMOVICH, Eduardo et al. Quais são os recentes achados clínicos sobre a associação entre depressão e suicídio?. 2009.

CORDÁS, Táki Athanássios. Depressão: da bile negra aos neurotransmissores: uma introdução história. Lemos Editorial, 2002.

COSTA, Fabrycianne Gonçalves et al. Rastreamento da depressão no contexto da insuficiência renal crônica. Temas em Psicologia, v. 22, n. 2, p. 445-455, 2014.

MORAES, Inácia Gomes da Silva et al. Prevalência da depressão pós-parto e fatores associados. Revista de saúde pública, v. 40, p. 65-70, 2006.

DEL PORTO, José Alberto. Conceito e diagnóstico. Revista Brasileira de Psiquiatria, v. 21, p. 06-11, 1999.

PARANHOS, Mariana Esteves; ARGIMON, Irani Iracema de Lima; WERLANG, Blanca Susana Guevara. Propriedades psicométricas do Inventário de Depressão de Beck-II (BDI-II) em adolescentes. Avaliação Psicológica, v. 9, n. 3, p. 383-392, 2010.

FERREIRA, Rafael Amorim et al. Depressão: Ponto de vista e conhecimento de enfermeiros do Programa Saúde da Família de São Sebastião do Paraíso. Revista de Iniciação Científica da Libertas, v. 5, n. 2, 2016.

FIGUEIRA, Patricia Gomes; DINIZ, Leandro Malloy; SILVA FILHO, HC da. Características demográficas e psicossociais associadas a depressão pós-parto em uma amostra de Belo Horizonte. RevPsiquiatr Rio GD Sul, v. 33, n. 2, p. 71-5, 2011.

GIL, Antonio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. Ediitora Atlas SA, 2008.

GONÇALES, Cintia Adriana Vieira; MACHADO, Ana Lúcia. Depressão, o mal do século: de que século?. Rev. enferm. UERJ, v. 15, n. 2, p. 298-304, 2007.

GONÇALVES, Daniel Almeida et al. Brazilian multicentre study of common mental disorders in primary care: rates and related social and demographic factors. Cadernos de saude publica, v. 30, p. 623-632, 2014.

GRINBERG, Luiz Paulo. O delírio de vidro. Transparência e sabedoria na história da melancolia. Junguiana, n. 23, p. 39-49, 2005.

JENKINS, Rachel et al. The national psychiatric morbidity surveys of Great Britain–strategy and methods. Psychological Medicine, v. 27, n. 4, p. 765-774, 1997.

KAPLAN, H. I.; SADOCK, B. J.; GREBB, J. A. The doctor-patient relationship and interviewing techniques. Kaplan and Sadock’s Synopsis of Psychiatry, seventh ed., HI Kaplan, BJ Sadock, JA Grebb ve ark.(Ed), Baltimore, Williams and Wilkins, 1994.

LUDERMIR, A. B.; LEWIS, G. Links between social class and common mental disorders in Northeast Brazil. Social psychiatry and psychiatric epidemiology, v. 36, n. 3, p. 101-107, 2001.

LUIZ, Andreia Mara Angelo Gonçalves; GORAYEB, Ricardo; JÚNIOR, Raphael Del Roio Liberatore. Avaliação de depressão, problemas de comportamento e competência social em crianças obesas. Estudos de Psicologia, v. 27, n. 1, p. 41-48, 2010.

MARAGNO, Luciana et al. Prevalência de transtornos mentais comuns em populações atendidas pelo Programa Saúde da Família (QUALIS) no Município de São Paulo, Brasil. Cadernos de Saúde Pública, v. 22, p. 1639-1648, 2006.

DE LIMA SALUM E MORAIS, Maria et al. Fatores psicossociais e sociodemográficos associados à depressão pós-parto: Um estudo em hospitais público e privado da cidade de São Paulo, Brasil. Estudos de Psicologia, v. 20, n. 1, 2015.

MORENO, Doris Hupfeld. Prevalência e características do espectro bipolar em amostra populacional definida da cidade de São Paulo. 2004. Tese de Doutorado. Universidade de São Paulo.

MUNHOZ, Tiago Neuenfeld. Prevalência e fatores associados à depressão em adultos: estudo de base populacional. 2012. Dissertação de Mestrado. Universidade Federal de Pelotas.

MUTARELLI, Sandra Regina Kuka et al. Os quatro temperamentos na antroposofia de Rudolf Steiner. 2006. Tese de Doutorado. Dissertação de Mestrado–PUC–São Paulo.

OLIVEIRA, Deise AAP; GOMES, Lucy; OLIVEIRA, Rodrigo F. Prevalência de depressão em idosos que freqüentam centros de convivência. Revista de Saúde Pública, v. 40, p. 734-736, 2006.

PAULA, Juliane dos Anjos de et al. Prevalência e fatores associados à depressão em estudantes de medicina. Journal of Human Growth and Development, v. 24, n. 3, p. 274-281, 2014.

PEREIRA, Diogo Fagundes; DA SILVA TAVARES, José Carlos. Quadros clínicos da depressão e combinações das inteligências de Gardner: um estudo correlacional. Almanaque Multidisciplinar de Pesquisa, v. 1, n. 2, 2018.

PEREIRA, Priscila Krauss; LOVISI, Giovanni Marcos. Prevalência da depressão gestacional e fatores associados. Rev psiquiatr clín, v. 35, n. 4, p. 144-53, 2008.

PERES, Urânia Tourinho. Dúvida melancólica, dívida melancólica, vida melancólica. Melancolia. São Paulo: Escuta, p. 11-72, 1996.

PONTE, Teresa Maria da. Perfil psicológico e interesses profissionais de estudantes de odontologia. 2012. Tese de Doutorado. Universidade de São Paulo.

RAMOS, Gizele Carmem Fagundes et al. Prevalência de sintomas depressivos e fatores associados em idosos no norte de Minas Gerais: um estudo de base populacional. J Bras Psiquiatr, v. 64, n. 2, p. 122-131, 2015.

RESTIFO, Kathleen; BÖGELS, Susan. Family processes in the development of youth depression: Translating the evidence to treatment. Clinical Psychology Review, v. 29, n. 4, p. 294-316, 2009.

RUSCHI, Gustavo Enrico Cabral et al. Aspectos epidemiológicos da depressão pós-parto em amostra brasileira. Revista de psiquiatria do Rio Grande do Sul, 2007.

SERRÃO, Filipa; KLEIN, John Manuel; GONÇALVES, Alda. Qualidade do sono e depressão: que relações sintomáticas em crianças de idade escolar. Psico-USF, v. 12, n. 2, p. 257-268, 2007.

BARBOSA, Fabiana de Oliveira; MACEDO, Paula Costa Mosca; SILVEIRA, Rosa Maria Carvalho da. Depressão e o suícido. Revista da SBPH, v. 14, n. 1, p. 233-243, 2011.

STOPA, Sheila Rizzato et al. Prevalence of self-reported depression in Brazil: 2013 National Health Survey results. Revista Brasileira de Epidemiologia, v. 18, p. 170-180, 2015.

WISDOM, Jennifer P.; AGNOR, Chrystal. Family heritage and depression guides: Family and peer views influence adolescent attitudes about depression. Journal of adolescence, v. 30, n. 2, p. 333-346, 2007.

YAMAMOTO, Oswaldo Hajime; DA ROCHA FALCÃO, Jorge Tarcísio; DE SOUSA SEIXAS, Pablo. Quem é o estudante de psicologia do Brasil?. Avaliaçao Psicologica: Interamerican Journal of Psychological Assessment, v. 10, n. 3, p. 209-232, 2011.




DOI: http://dx.doi.org/10.32813/rchv12n12019artigo5

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Ciências Humanas - eISSN: 2179-1120




Programa Anti-plágio utilizado:

CopySpider