Representações Sociais da música: formação x educação

Alessandro Vasconcelos, Letícia Maria Pinto da Costa

Resumo


Este trabalho investiga como os alunos representam o curso superior de música e qual o critério usado no processo de escolha pela licenciatura nessa área. Para tanto, foi realizado um grupo focal com 12 sujeitos compostos por estudantes do primeiro ao sexto semestre do curso de música de uma faculdade em uma cidade do vale do Paraiba paulista. Foi utilizado como instrumento de coleta de dados um roteiro de questões abertas. As análises embasadas pela teoria das Representações  Sociais demonstraram que os licenciandos em todos os semestres do curso colocam o ensino superior de música como um curso prático, voltado a formação instrumental ou cancional, sendo que a música como atividade educacional interdisciplinar é praticamente desconhecida por eles.


Palavras-chave


Educação Musical; Desenvolvimento Humano; Licenciatura; Música

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Lei nº 11.769 de 18 de agosto de 2008. Altera a Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, Lei de Diretrizes e Bases da educação Nacional, para dispor sobre a obrigatoriedade do ensino de música na educação básica. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 1º de agosto de 2008.

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases para a Educação Nacional. Lei no. 90394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília, Ministério da Educação: 2014

BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais: Arte, Secretaria de Educação Fundamental. Brasília: MEC / SEF, 1998.

ESPERIDIÃO, N. Educação musical e formação de professores – suíte e variações sobre o tema. São Paulo: Globus, 2012

GATTI, B. A. Grupo focal na pesquisa em Ciências Sociais e Humanas. Brasília: Liber Livro, 2005.

JODELET, D.: Représentations Sociales: un domaine en expansion. In D. Jodelet (Ed.) Les représentations sociales. Paris: PUF, 1989, pp. 31-61. UFRJ- Faculdade de Educação, dez. 1993

MARTINS, S.T.F.M. Psicologia Social e Processo Grupal: a coerência entre fazer, pensar e sentir em Sílvia Lane. In: Psicologia & Sociedade; vol. 19, Edição Especial n. 2, setembro.2007, p. 76-80, Botucatu, São Paulo, Brasil

MELLO, G. A música no Brasil desde os tempos coloniais até o primeiro decênio da República. Rio de Janeiro: Imprensa nacional, 1947.

MOSCOVICI, S. La Psychanalyse, son image et son public. Paris: Press Universitary de France, 1961

MOSCOVICI, S. Representações sociais: investigações em Psicologia Social. Petrópolis-RJ: Vozes, 2007.

PENNA, M. Professores de música nas escolas públicas de ensino fundamental e médio: uma ausência significativa. Revista da Abem, n. 7, p. 7-19, setembro, 2002

WESTPLTAL M. F., BÓGUS C.M., FARIA M.M. Grupos focais: experiências precursoras em programas educativos em saúde no Brasil. In: Boletin de la Oficina Sanitária Panamericana. São Paulo v.120, n.6, 1995.

Acesso à internet

http://guiadoestudante.abril.com.br/ acesso em 8 de maio de 2017

http://mec.gov.br/ acesso em 8 de maio de 2017

https://www.webartigos.com/artigos/marcos-historico-da-educacao-musical-no-brasil/118434 acesso em 4 de agosto de 2017


Apontamentos

  • Não há apontamentos.