As interfaces das Ciências Humanas

  • Ana Maria Gimenes Corrêa Calil

Resumo

Prezados leitores (as):

É com grande satisfação que lhes convidamos à leitura deste primeiro número de 2015 da Revista Ciências Humanas, que está composto por 12 artigos, dos quais cinco artigos abordam questões sobre a educação nos mais diversos prismas, sua relação com a formação inicial e o ensino superior, sobre avaliação na qualidade educacional, sobre educação de jovens e adultos e a inclusão social, além da relação da educação em saúde. Os demais artigos trazem assuntos diversos tais como a comunicação no meio social, as diferentes experiências no contexto do trabalho, análise de obra literária, análise de documentário, o tema de pais em luto e, sobre as vivências para os direitos da pessoa com deficiência e as práticas e percepções maternas a respeito da alimentação infantil. Todos os artigos serão sumariamente apresentados a seguir.
Inicia este número da revista o artigo intitulado “Formação inicial de professores no Brasil e o caso de um programa inovador”, de autoria de Gisela Wajskop, apresenta dados sobre o perfil dos estudantes que ingressaram em cursos de licenciatura, relata uma experiência bem sucedida com um modelo inovador de formação docente e põe em questão reflexões acerca da formação de professores no Brasil.
Os autores Paulo Sérgio Araújo Tavares, Cláudia Magalhães Caparroz e Elisa Maria Andrade Brisola, apresentam o artigo “Formação da sociedade brasileira e o Ensino Superior”, que se preocupa com a discussão da formação da sociedade brasileira e sobre como esta constituição trouxe consequências para os processos políticos do país. Elegeram, por sua vez, discutir e analisar a história e as reformas implementadas no Ensino Superior no Brasil.
O artigo “Avaliação como instrumento de gestão na busca pela qualidade educacional”, de autoria de Carla Rizzi Antunes da Silva Bafini e Maria Teresa de Moura Ribeiro, trazem uma significativa contribuição sobre a relação entre a avaliação e a qualidade educacional e destacam a compreensão desta relação como essencial ao processo de trabalho docente, bem como, à gestão educacional como um todo.
Denise Teberga Mendanã e Maria Aparecida Campos Diniz de Castro discorrem sobre o tema da inclusão social e a educação de jovens e adultos no artigo “Educação de Jovens e Adultos e inclusão social: uma análise dos artigos publicados no periódico “Educar em Revista”. Para a reflexão da temática, as autoras tomaram como base as ideias da Educação Popular e as concepções de currículos e práticas. Trata-se de uma revisão de literatura nos artigos do periódico “Educar em Revista” que, em uma análise mais detalhada foram agrupados pelos assuntos currículo e práticas e a EJA como possibilidade de inclusão.
Maria Angela Boccara de Paula, Glaucio Jorge de Souza e Maria Beatriz Franze Conte, contribuem com o artigo “Educação em saúde e a melhoria da qualidade de vida do trabalhador”, discutem aspectos da educação em saúde junto ao trabalhador que podem favorecer a melhoria da qualidade de vida ao considerar a relação existente entre o homem e o trabalho no processo de viver melhor.
O artigo “Tópicos sobre as faculdades de agendamento e influência dos veículos de comunicação no meio social” de autoria de Tiago Eloy Zaidan, aborda conceitos como agendamento, hegemonia e cultura da mídia, contribuições da abordagem de Gramsci e de Douglas Kellner a partir da leitura de cultural studies.
Paulo Sérgio Araújo Tavares, Maria Aparecida Campos Diniz de Castro, Camila Nogueira de Sá Boaventura e Filipe Guimarães dos Santos, são os autores do artigo intitulado “Diferentes experiências em contextos de trabalho: interações socioculturais”, fazem uma reflexão sobre a aprendizagem, o clima emocional e os processos interativos em diferentes ambientes .

de trabalho, com destaque para o relacionamento e a docência no Ensino Superior.
Os dois artigos seguintes situam-se no campo da análise literária e da análise de documentário. O primeiro deles intitulado “Literatura marginal: análise do conto ‘Solar dos Príncipes’”, de autoria de Neide Cristina da Silva e Maria Aparecida Costa dos Santos, analisa o conto que se constitui parte da obra literária Contos Negreiros de Marcelino Freire. Abordam a literatura marginal como aquela produzida por escritores periféricos, que retratam o cotidiano da classe pobre e produzem uma literatura emancipatória. O segundo, “Educando sensibilidades: publicização e debate no espaço universitário sobre o documentário ‘Sem pena”, analisa as narrativas orais e fílmicas sobre a justiça e cárcere no documentário “Sem pena”, na tentativa de sensibilizar estudantes quanto às condições dos apenados no Brasil, é de autoria de Marta Gouveia de Oliveira Rovai e Rafael Flores de Lima.
O artigo “Pais enlutados na sociedade atual: uma análise sobre suas vivências cotidianas a partir de novos critérios diagnósticos”, de autoria de Silvia Helena Santos, Wilson Oliveira e Claudia Fabiana de Jesus, aborda o luto como processo em que a tristeza é sentida e expressada após a morte de um ente querido. Trata-se de estudo de caso com cinco casais e teve como objetivo compreender como o luto altera a cotidianeidade dos pais que tiveram filhos falecidos.
O artigo “Vivências e ações na luta pelos direitos da pessoa com deficiência – a humanização necessária”, escrito por Luciana Oliveira Rocha Magalhães e Suelene Regina Dônola Mendonça, relata um breve histórico do Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa com Deficiência (COMDEF) e evidencia as realizações em prol da pessoa com deficiência na cidade de Taubaté, desde 2007, sob o referencial da educação inclusiva no aporte teórico de Bueno e Sassaki, e de Martins, Brandão e Caldart.
O artigo que encerra esse número “Percepções maternas sobre alimentação no primeiro ano de vida” de autoria de Daniele do Rozário Conceição e Alexandra Magna Rodrigues mostra as práticas e as percepções maternas sobre a alimentação infantil e discuti sobre a necessidade de maiores informações e apoio profissional para que alimentação nesta fase da vida seja realizada de maneira adequada.
Ademais, desejamos uma leitura proveitosa e contributiva para o subsídio de novos estudos e pesquisas nas diferentes temáticas que compõem as Ciências Humanas. Nossa equipe reitera o prazer pela publicação dos artigos deste número e convida aos interessados para novas submissões.

Biografia do Autor

Ana Maria Gimenes Corrêa Calil
Lotada no Departamento de Pedagogia da Universidade de Taubaté. Mestre pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo no Programa Educação: Psicologia da Educação, doutoranda no mesmo programa. 
Área: Educação, formação de professores, formação de professores iniciantes.
Publicado
2015-06-30