O MERCADO DO REFORÇO ESCOLAR: A PROCURA E A OFERTA DE CURSINHOS COMERCIAIS NA CIDADE DE BRASÍLIA

António Augusto Neto Mendes

Resumo


A complexa construção dos resultados escolares e a luta por uma vaga no ensino superior são realidades que justificam a coexistência entre um sistema formal de ensino e outras respostas, geralmente de iniciativa privada – como são os cursinhos comerciais – que procuram preparar os estudantes (e suas famílias) para desempenhos escolares exigentes e competitivos. Neste trabalho, pretende-se apresentar resultados parcelares de uma vasta investigação já concluída sobre este fenómeno globalizado, caraterizando a procura e a oferta deste tipo de empresas de reforço escolar na cidade de Brasília. Para tal, desenvolvemos uma investigação do tipo misto que consistiu: na recolha e análise de obras bibliográficas de referência e na pesquisa através da Internet de páginas oficias de cursinhos a operar nesta cidade; em entrevistas a diretores de cursinhos comerciais; e na aplicação de um inquérito por questionário aos alunos que frequentavam os cinco centros selecionados. Eis alguns dos resultados permitidos pela nossa investigação, ainda que limitada pelas razões que explicaremos no texto: trata-se de um mercado em franca expansão; há uma perceção positiva de retorno em termos da melhoria dos resultados escolares por parte dos estudantes e gestores; os gestores veiculam uma opinião crítica relativamente ao sistema formal de ensino; este tipo de apoio escolar é visto como “reforço antecipado e/ou preventivo” para os exames; há uma centralidade do reforço a Matemática e a Português, as disciplinas mais requisitadas.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.32813/2179-1120.2014.v7.n2.a149

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2014 Revista Ciências Humanas

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

Revista Ciências Humanas - eISSN: 2179-1120




Programa Anti-plágio utilizado:

CopySpider